Dica cultural: Filme Califórnia estreia nos cinemas

Olá, girls, tudo bem?
Antes de começar a conversar com vocês, quero me desculpar
por ter me perdido no tempo. Nas últimas semanas, tive muito trabalho – não é
uma reclamação rs -, porém não me orgulho de descumprir o combinado aqui.
Passaram-se mais de 2 semanas e eu passei batida, sem dar conta que já
estava na hora de postar novamente aqui.
Sem mais delongas, há algumas semanas o blog the best da
Jackie foi convidado por uma assessoria para assistir em primeira mão, somente
para imprensa, ao filme nacional “Califórnia”. Me senti super feliz e honrada por
representar o blog da nossa linda Jackie! No fundo, acho que ela sabe que eu sou a
louca dos filmes e séries! E fui, feliz e com uma bagagem de curiosidade que
nem eu estava aguentando carregar rsrsrs. Afinal, eu estava indo rycah #sqn pra
um dos shoppings que mais gosto aqui da minha região, o Shopping Cidade São
Paulo, em plena quinta-feira de manhã.
O filme, conta de forma muito leve e descontraída, a história
da adolescente Stela, que assim como nós, tem sonhos. Mas, o sonho de Teca,
como é chamada carinhosamente pelos amigos e família, é viajar para Califórnia,
casa do seu tio, o seu grande herói. Teca, passa a maior parte da sua
adolescência conturbada, entre escola, amigos, bailes e planejando, rabiscando a sua tão sonhada
viagem de verão, até que, recebe a desagradável notícia que sua estadia
pela Califórnia foi suspensa por seus pais. O pior motivo: o seu tio Carlos,
interpretado por Caio Blat, que até então seria seu guia turístico na
Califórnia chegou de surpresa ao Brasil, magro e doente. Tudo parece muito
estranho e misterioso, diante de alguns cochichos em família.
Desconfiada e sem saber ao certo o que se passava com o estado de saúde de seu tio, a sua única saída, já que seu sonho foi praticamente arquivado por
ora, foi curtir a vida como uma jovem garota, cheia de energia, planos – de perder
a virgindade, inclusive – e desejos.
Califórnia é simplesmente uma deliciosa viagem no tempo. As cenas são um
conjunto de sensações e imersões sobre a década de 80, na qual o filme é
contado.
Se você, jovem garota, que está nos lendo agora tem
curiosidade de saber como era a época de 80’ dos seus pais, o filme é uma ótima narrativa. Ou, se você, assim como eu, vivenciou esta época,
saudosismo será a palavra-chave.
Pontos fortes do filme:
-Trilha sonora: Aperfeiçoadíssima!
Quase saí dançando no escurinho do cinema. Sim, gata, sou velha e curto as
baladas anos 80 e seus costumes! Cada momento do filme, você se pega viajando
nos embalos de David Bowie, The Cure e claro, boa parte desse mérito musical é
assinado por artistas nacionais como Titãs, Blitz que faziam muuuuuito sucesso
na época em que acontece o filme, 1984.
-Figurino: Do
jeitinho “oitentístico” de ser, tudo bem colorido. Mas, Teca, a personagem
principal, adora usar roupas que não valorizam nadinha do seu shape magérrimo, como
camisetas bem largas, parecendo que roubou do seu irmão mais velho. Adora as
camisas de bandas internacionais que seu tio trás de souvenir, diretamente da
Califórnia. Uma ressalva positiva ao look chanel da jovem atriz! Mega moderninho! E o all star, claro, que marca presença forte nos pezinhos.


-Fotografia e direção
de arte:
Nunca vi algo tão bem explorado num filme nacionail. Pra fazer
uma verdadeira e profunda viagem ao passado, a diretora, Marina Person (ex VJ
da MTV) caprichou nos detalhes. O conjunto de elementos antigos causam um certo
saudosismo, por exemplo, pequenos grandes detalhes como o personagem Carlos fumando cigarro
no interior do restaurante, sem restrições e quando tio e sobrinha pegam a estrada
normalmente sem cinto de segurança, justamente
como era na época.
-Atores: Apesar do
grande nome Caio Blat, ele não é o personagem principal, como eu já citei.
Porém, todos cumprem muito bem seu papel, em destaque para new face Clara Gallo.
Atriz naturalmente disposta e entregue para interpretar Stela. Cereja do bolo:
quase caí dura quando apareceu o Paulo Miklos. Sabe como são aquelas chatinhas
fãs dos Titãs? rs
O fim do filme é bem previsível com relação ao tio da menina, mas a história cumpre muito bem sua proposta romântica, como nos filmes
hollywoodianos.
Não vou contar sobre a parte romântica pra não
perder a graça (sim, é inesperadíssimo!), que considero a mais inusitada. Se eu fosse vocês, assistiriam no cine, nas férias, com um
único (e suficiente) compromisso: SE DIVERTIR MUITOOO!!!

Previsão de estreia: 3 de Dezembro nos Cinemas
Gênero: Drama
Elenco principal: Clara Gallo, Caio Blat, Paulo Miklos, Caio
Horovicz, Gilda Nomacce.
Direção: Marina Person
Meninas, espero que vocês tenham gostado da dica cultural
pras próximas semanas. Este post não é especificamente sobre MODA, mas lembram-se
daquele ditado, assim:
“Você sempre será mais elegante se a sua biblioteca – leia-se
“cinemateca”-  for maior que o seu
guarda-roupa.” Isso vale também para outras culturas, como filme, teatro e
exposições.
Ah, sabe aquela sua amiga apaixonada por cinema? Indique
esse post e compartilhe conhecimento! Beijos e até muito breve!
Mel Alves

Facebook | Insta | Twitter
Snapchat: melcarioca
Email: melalvesoficial@gmail.com