Pesquisa avalia hábitos das mulheres sobre saúde íntima #durmosemcalcinha

Levantamento realizado pelo Ibope identifica os principais comportamentos associados à higiene íntima
Embora a higiene íntima seja um tema que tem aparecido com mais frequência nas conversas entre mulheres e nos consultórios médicos, o assunto ainda envolve diversas dúvidas e tabus. Muitas mulheres desconhecem a importância dos hábitos simples para a saúde íntima. Esse cenário foi mostrado em estudo1 solicitado por Dermacyd, à Conecta – empresa do Grupo Ibope.
Das mulheres entrevistadas nas capitais brasileiras, 42% disseram nunca dormir sem calcinha, 41% dormem às vezes e apenas 17% afirmam ter esse hábito. 
De acordo com os dados, 19% das brasileiras consideram dormir sem calcinha ruim para a região íntima ou um hábito não higiênico, reforçando a confusão em torno do assunto. Ao mesmo tempo, 86% passariam a dormir sem calcinha ou aumentariam a frequência dessa atitude, se soubessem que isso é bom para a região íntima. “A pesquisa mostrou também que 49% delas passariam a ter o costume, se recebessem informações relevantes e confiáveis; 36% se recebessem orientação médica, e 13%, se o(a) parceiro(a) incentivasse esse hábito. Por isso a importância de ampliarmos a discussão sobre o assunto entre as consumidoras, médicos e familiares”, acrescenta a gerente.
Das mulheres que afirmam dormir sem calcinha, 37% consideram que é um hábito saudável, 10% receberam alguma recomendação médica para isso e 22% se sentem mais leves e frescas com essa atitude. Sobre a relação desse costume com a vida sexual das mulheres, 35% afirmaram que nunca há essa interferência e 46% disseram que, às vezes, acontece. 

Hábitos para dormir
A pesquisa revelou ainda que 84% das entrevistadas tomam banho antes de dormir. Das mulheres que dormem sem tomar banho, 32% não acham necessário realizar qualquer higienização antes de se deitar e só 23% realizam a limpeza com ducha de água e sabonete líquido íntimo, que é o mais indicado pelos médicos. 
Outro dado interessante é sobre a relação entre a escolha das calcinhas e a saúde: 70% pensam em conforto ao escolher essa peça; 10%, em beleza e somente 18% relacionam a opção com a saúde da região íntima.
Para mais informações, acesse http://www.higieneintima.com.br.
1 Pesquisa realizada pelo Conecta, empresa do Grupo Ibope, em julho de 2013, com mulheres de 20 a 45 anos,  amostra nacional nas capitais do país