A moda Brasileira está sem alma

Eu falo pouco sobre moda aqui no blog, gosto de postar editoriais e de vez enquando posto também sobre tendências, mesmo não sendo o assunto principal do blog dou alguns pitacos.
Li um post no blog Mulheres Reais #recomendo e reproduzo aqui pois compartilho da mesma opinião, falta identidade na moda brasileira, falta brasilidade e acima de tudo o respeito pela real beleza, pois as modelos esqueléticas não estão com nada!

Vale a pena clicar AQUI para ler a crítica escrita pelo colunista Bruno Astuto, do site e da revista Época. Com clareza e coerência, ele ataca a insistência das grifes em escalar modelos com aspecto doentio e que desfilam sem nenhuma alegria, numa imitação piorada e incompreensível dos shows de moda da Europa.

Astuto levanta duas questões importantíssimas: 1. As principais marcas brasileiras parecem ter vergonha das nossas referências culturais e criam roupas sem identidade, tentando copiar o que os estrangeiros já fazem muito bem há bastante tempo; 2. A mulher brasileira, com suas curvas e a elogiada alegria de viver, não é representada nas passarelas, onde as modelos desfilam parecendo zumbis, sem qualquer expressão.

O colunista está certíssimo: em meio à crise internacional, que afeta inclusive o mercado de moda, o Brasil teria a chance de mostrar uma produção renovada e original. Porém quase todas as grifes insistem em fazer roupas para uma mulher europeizada — fria e convencional. Falta o sopro criativo e a ousadia que os gringos tanto admiram na essência do brasileiro. Na foto acima, a cantora Alcione no desfile de Victor Dzenk, no Fashion Rio. Foi um dos raros momentos de brasilidade e entusiasmo no evento, de acordo com a observação de Bruno Astuto.